Dor nas relações sexuais e útero aumentado…

… fiz um ultrassom transvaginal e o resultado foi: útero em AVF, com dimensões aumentadas, centrado. O útero mede … em seus maiores diâmetros longitudinal, transversal e ântero-posterior respectivamente. Volume uterino = 244 cm³. Estou preocupada, até porque eu tinha alguns sintomas que achava ser normal, mas agora acho que está relacionado com este diagnóstico. Tenho abdômen saltado, constipação, dor nas relações sexuais…

Basicamente o que vamos discutir neste tópico é a relação entre o útero aumentado e as dores na hora de ter relação, ou também conhecidas no mundo médico como: dispareunias.

O útero com o volume aumentado, principalmente em decorrência de alterações hormonais (quando todo o útero é afetado – colo do útero também, onde há um edema associado e sensibilidade local, então a dor que a mulher tem durante as relações sexuais (que deve ser uma dor sentida no fundo da vagina ou “pé da barriga”) pode ser decorrente do útero que está aumentado.

São muito comuns as cirurgias de retirada do útero – histerectomia “porque o útero está aumentado” e as mulheres apresentam os sintomas de dor nas relações, barriga aumentada, constipação e dor abdominal frequente, em que o retorno dos sintomas se dá algumas semanas depois da cirurgia ou mesmo nem sequer chegam a cessar por nenhum período.

Ou seja é preciso discernimento e não concluir precipitadamente que o útero é a causa de todos os problemas, quando os sangramentos e/ou hemorragias estão associados não existe muita dúvida quanto a necessidades de cirurgia, porém na inexistência de sintomas ou situações potencialmente perigosas é prudente antes da cirurgia tratar todas as situações que basicamente são 3 as mais comuns: constipação, disfunção hormonal e problemas emocionais.

A constipação ou intestino preso é a maior causa de dor abdominal em mulheres; a situação do útero pode (nem sempre) ser revertida parcialmente pela correção de eventuais distúrbios hormonais e perda de peso quando a obesidade ou o sobrepeso estão presente. A depressão e a ansiedade, assim como problemas emocionais decorrentes de certos tipos de traumas psicológicos podem estar associados a ocorrência de dor nas relações sexuais.

Não estou contra-indicando a cirurgia, até porque está é uma decisão da paciente que deve ser tomada por ela em conjunto com seu médico de confiança, porém há a necessidade de se levantar determinadas questões a respeito do assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *