Mãe com sangue negativo e pai com sangue positivo…

Meu sangue é A – e o sangue do meu marido é O+, me disseram que posso ter problemas na gravidez e o bebê pode adoecer, isso é verdade? Quais as precauções para gerar um bebê saudável?

Quando a mãe tem sangue negativo (Rh negativo) e o pai tem sangue positivo (Rh positivo) o bebê pode ter sangue positivo (Rh positivo), sendo então a mãe Rh – e o bebê Rh + pode haver uma doença chamada Eritroblastose Fetal.

Eritroblastose fetal é uma doença que leva a destruição (hemolise) das hemácias que são os glóbulos vermelhos do sangue do feto. Essa destruição é feita por anticorpos (anti-Rh) da mãe que atravessam a placenta e causam o problema durante a gravidez. A Eritroblastose Fetal é causada pela incompatibilidade do sangue materno e fetal. Isso ocorre porque durante a gestação, a mulher produz anticorpos anti-Rh para tentar destruir o agente Rh do feto (como a mãe não tem o fator Rh, o corpo da mãe produz esses anticorpos pois o fator Rh é considerada uma proteína estranha). Esses anticorpos permanecem no sangue da mãe e quando ela voltar a engravidar de um bebê com Rh positivo, os anticorpos (anti-Rh) produzidos na gravidez anterior destroem as hemácias do feto.

O primeiro filho tem menos risco de desenvolver a Eritroblastose Fetal, o maior problema tende a ocorrer a partir do segundo filho com Rh +.

Quais as consequências desta doença para a mãe?

Pode causar aborto, porém não repercussões para a saúde materna.

Quais as consequências para o bebê?

A eritroblastose fetal pode ter consequências desde leves como anemia e icterícia leves até repercussões mais graves como deficiência mental, surdez, paralisia cerebral, edema generalizado, fígado e baço aumentados, icterícia, anemia graves e morte durante a gestação ou após o parto.

Como descobrir se isso pode acontecer?

O diagnóstico pode ser feito pela pesquisa de anticorpos anti-Rh por meio do exame que toda gestante com tipo de sangue Rh – deve fazer durante a gestação: teste de Coombs indireto.

Qual é o tratamento indicado?

O tratamento da eritroblastose fetal é realizado pelo pediatra, no hospital, assim que o bebê nascer. O mais importante é a prevenção. Se o exame de Coombs indireto for positivo a mulher deve realizar o adequado tratamento para evitar a eritroblastose fetal, assim como também deve receber  medicação específica em até 72 horas depois do parto.

Todas essas formas de prevenção e tratamento serão explicadas para a mulher durante a gestação, porém o ideal é que esse processo já inicie antes mesmo da mulher engravidar. Procure um ginecologista ou obstetra caso esteja grávida, idealmente, deve procurar o médico antes mesmo de engravidar

 Leia também:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *